Ministério do Turismo, Governo de Minas Gerais e Fundação Clóvis Salgado apresentam

Caminhos da Arte 2020 | Arte que Inspira, Liberta e Transforma

O programa Caminhos da Arte é a nova formação artística e cultural do Palácio das Artes em Brumadinho. Entre os meses de novembro e dezembro, ofereceremos uma programação gratuita pensada exclusivamente para a população da cidade. 

O objetivo foi abrir novas oportunidades e perspectivas de trabalho para jovens e adultos da região, bem como fomentar sua cena cultural, artística e criativa por meio de palestras, conversas com artistas, educadores e articuladores de Brumadinho e de outras regiões do país, além de oficinas para jovens e adultos da comunidade local.

Nossa curadoria foi guiada por três eixos conceituais que buscam explorar o potencial da arte em inspirar, libertar e transformar pessoas e comunidades: 

ARTE QUE INSPIRA 

Arte como fonte criativa para a vida, para quem cria e para quem vive a experiência cultural. Diz respeito à forma como nos relacionamos com o mundo, com a natureza e com o outro, tendo a arte como forma de expressão individual e coletiva, como memória e registro, como identidade cultural e convivência com a diversidade. Este eixo busca evidenciar os diversos saberes e inspiração local para a enorme produção da economia criativa, como fonte de imaginação, ideias e inovação. Um estímulo à reflexão, à criação, sensibilização, emoção e motivação. 

ARTE QUE LIBERTA 

Arte e cultura como forma de expressão e de construção de autonomia crítica, conhecimento, emancipação, empoderamento e liberdade. A expressão artística e humana como prática da liberdade – fruição, vivência cultural, conhecimento, participação e envolvimento efetivo no fazer. Arte e cultura informam, participam de forma efetiva na história, raízes e origens, mas também na construção de perspectivas, oportunidades e destinos. Arte e cultura como base para reflexões e conhecimento, como canais de restauração da vida e do bem-estar. 

ARTE QUE TRANSFORMA 

Enfatiza as pessoas como sujeitos do desenvolvimento do ponto de vista estético, ético e social. O impacto humano, social e econômico das artes e da cultura. Fator imprescindível para o desenvolvimento sustentável da sociedade, o bem-estar coletivo e a elevação dos valores humanos de solidariedade e respeito. O poder da arte de ressignificar a vida e reinventar-se. Criar, recriar, reciclar, superar e incluir.

Em função das medidas restritivas para conter o avanço da pandemia de Covid-19, toda a programação foi realizada em formato virtual. A palestra de abertura e rodas de conversa foram transmitidas ao vivo pelo nosso site, enquanto as oficinas foram realizadas na plataforma Zoom. 

Palestra e Rodas de Conversa 

No dia 23 de novembro, abrimos nossa programação com a performance musical do violinista brumadinhense André Luís.

Depois, o cantor, compositor e instrumentista Carlinhos Brown foi o convidado especial para a palestra de abertura do programa Caminhos da Arte.

Carlinhos trouxe a palestra-show “Como a arte contribui para o desenvolvimento humano”, desenvolvida exclusivamente para o programa, contando a sua história artística e os caminhos que trilhou até conquistar o espaço que ocupa hoje na Música Popular Brasileira. 

O cantor destacou o papel fundamental da arte para a expressão e conquista de afirmação das identidades culturais locais, conhecimento, protagonismo, emancipação, autonomia crítica e autoconfiança. 


Roda de Conversa – Arte que Inspira

A roda de conversa Arte que Inspira reuniu a cantora e compositora Zélia Duncan como mediadora dos ceramistas de Brumadinho Jéssica Martins e José Alberto Bahia (o Bebeto) do Saracura Três Potes, o alemão Benedikt Wiertz – que reside e trabalha na cidade, além de Inês Antonini, artista plástica que tem seu ateliê na região.

O bate-papo abordou a pesquisa de cada artista, a relação da arte com a natureza e a região de Brumadinho, além de formas de continuar resistindo em meio a tanta dificuldade. Nesse sentido, a Zélia ainda nos trouxe um poema, cuja inspiração foi justamente a potência desse encontro tão especial: 

TIJOLOS DE UMA OBRA

Pra todo veneno, um antídoto
Pra toda tragédia, um renascimento
Pra toda tristeza, uma canção
Pra toda ruína, uma obra
Pra toda obra, uma arte
Pra toda arte, um par de olhos 
Pra cada par de olhos, um coração que enxergue
Para todo absurdo, uma esperança que nasça, do que restar de humano em nós!
 


Roda de Conversa – Arte que Liberta

A roda de conversa Arte que Liberta teve como foco a arte como forma de expressão e circulação de conhecimento, como meio para o empoderamento de indivíduos e a criação de narrativas libertadoras. Na mediação, contamos com a jornalista e escritora Leila Ferreira, e as participantes da roda foram Dina Braga, Presidente e coordenadora do grupo Afro, Canto e Dança “NEGRO POR NEGRO”, de Brumadinho; e Rosália Diogo (Belo Horizonte), professora e jornalista.

As convidadas compartilharam suas experiências de vida, abordando temas como racismo, identidade e empoderamento feminino, entendendo a arte como uma ferramenta de libertação de sistemas opressores. 


Roda de conversa – Arte que Transforma

O último encontro do Caminhos da Arte teceu narrativas em torno da arte e da cultura como ferramentas para a restauração da vida, saúde e bem-estar individual e coletivo. A discussão contou com mediação da repórter Tábata Poline (TV Globo Minas) e com a presença do músico e produtor Sanrah Ângelo, do projeto social Batucabrum, de Brumadinho, e Nil César, fundador e gestor da Casa do Beco, espaço de intercâmbio de experiências culturais no Aglomerado Santa Lúcia, em BH.

A roda trouxe discussões muito importantes a respeito da importância da arte e da cultura para abrir novos caminhos para jovens e adultos, além dos desafios de sobrevivência de organizações como o Batucabrum e a Casa do Beco em contextos difíceis como o que vivemos agora. 

Oficinas 

Durante a programação do Caminhos da Arte, foram oferecidas aos moradores da região de Brumadinho seis oficinas online e gratuitas, dentro de três esferas norteadoras principais: capacitação técnica, sensibilização artística e práticas de bem-estar.

Ao todo, 192 pessoas se inscreveram para participar,  com um total válido de 116 (cento e dezesseis) inscrições declaradas como da cidade de Brumadinho.

Bordado Criativo

Ministrada por Itamara Ribeiro, a oficina visou a capacitação para a produção de artesanatos com uso de bordado criativo através da ativação das memórias cotidianas de cada participante. Também buscou promover o acesso à cultura por meio da indicação de artistas contemporâneos do bordado e das artes têxteis. Confira alguns processos dos alunos das oficinas:

Canções Para Brumadinho

Ministrada por Babaya Morais, a oficina ofereceu aulas de aquecimento vocal para que os participantes pudessem utilizar a voz de forma correta, interpretar e cantar com prazer. Além disso, um tema musical para pesquisa foi desenvolvido, bem como um fio condutor de uma possível apresentação on-line, que também serviu como ferramenta de estímulo e desenvolvimento dos participantes.

Fotografia para Celular

Ministrada por Alexandre Lopes, a oficina visou a produção da fotografia e vídeo móvel, preparando seus participantes para o uso do telefone celular/smartphone com mais eficiência e criatividade, melhorando e se destacando no processo de comunicação visual, pessoal ou corporativa. Esta atividade seguiu o recorte de profissionalização básica para interessados em aprender mais sobre os exercícios técnicos e praticarem, futuramente, um exercício profissional em potencial. Confira algumas fotografias produzidas pelos alunos:

O que minha história me conta?

Ministrada por Walkíria Tércia e Fernanda Ramos, a vivência buscou oferecer uma oportunidade de autoconhecimento e autodesenvolvimento em grupo convidando cada participante a olhar para sua história de vida: analisar, honrar, celebrar e visualizar como quer que seja seu futuro. 

Desenho para não desenhistas

Ministrada por Binho Barreto, a oficina foi criada para quem acha que não sabe desenhar ou que desenha eventualmente mas quer melhorar o traço. O conteúdo foi composto por referências, conversas e exercícios com o objetivo de desbloquear e aprender algumas técnicas de desenho.

Edição de vídeos para iniciantes

Ministrada por Rodrigo Oliveira, a oficina buscou apresentar conteúdos de criação audiovisual a partir de estudos de conceitos e técnicas da área. Durante as aulas, os alunos puderam conhecer as etapas de criação de um vídeo — pré-produção, produção e pós-produção. Houve também a sugestão de registro de suas rotinas para reflexão coletiva sobre as atuais conjunturas e criação de um filme multiautoral.

REALIZAÇÃO & PATROCÍNIO 

O programa foi realizado pela Secretaria Especial da Cultura/Ministério do Turismo/, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, pelo Governo de Minas Gerais/ Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais e Fundação Clóvis Salgado, com o patrocínio da Catterpillar. Este programa teve, também, o Instituto Social Sotreq – iSSO como parceiro investidor e a APPA Arte e Cultura como correalizadora. 

SOBRE A FUNDAÇÃO CLÓVIS SALGADO / PALÁCIO DAS ARTES 

A Fundação Clóvis Salgado (FCS) atua nas áreas de produção artística, difusão e formação cultural. Em seus espaços – Palácio das Artes, CâmeraSete – Casa da Fotografia de Minas Gerais e Serraria Souza Pinto, a diversificada programação oferecida atinge diretamente mais de 600 mil pessoas 27 por ano. Artes visuais, cinema, dança, literatura, música erudita e popular, ópera e teatro são algumas das possibilidades de fruição, produção e formação incorporadas e reconhecidas na essência da Fundação Clóvis Salgado. Em permanente diálogo entre tradição e contemporaneidade, a atuação de seus Corpos artísticos – Cia. de Dança Palácio das Ates, Coral Lírico e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais – permite a realização de grandes produções operísticas, concertos, espetáculos de dança contemporânea e performances. Essa atuação complexa e transversal faz da Fundação Clóvis Salgado uma das instituições únicas no mundo e a torna estratégica para implementação e execução de políticas públicas de cultura para o desenvolvimento humano, econômico e social.

SOBRE A CATERPILLAR 

Desde 1925, a Caterpillar Inc. tem ajudado nossos clientes a construir um mundo melhor – tornando o progresso sustentável possível e impulsionando mudanças positivas em todos os continentes. Com vendas e receitas de US $ 53,8 bilhões em 2019, a Caterpillar é a fabricante líder mundial de equipamentos de construção e mineração, motores a diesel e gás natural, turbinas industriais a gás e locomotivas diesel-elétricas. Os serviços oferecidos ao longo do ciclo de vida do produto, as tecnologias de ponta e décadas de experiência em produtos diferenciam a Caterpillar, fornecendo valor excepcional para ajudar nossos clientes a ter sucesso. A empresa opera principalmente por meio de três segmentos principais – Indústrias de Construção, Indústrias de Recursos e Energia & Transporte – e fornece financiamento e serviços relacionados por meio de seu segmento de Produtos Financeiros. Para obter mais informações, visite caterpillar.com. Para se conectar nas redes sociais, visite: caterpillar.com/social-media. 

SOBRE O iSSO 

O Instituto Social Sotreq, conhecido como iSSO, é uma Organização da Sociedade Civil cujo propósito é valorizar o potencial humano e contribuir com a sustentabilidade. Fundado em 9 de junho de 2005, segue investindo em projetos sociais nas áreas de capacitação profissional e socioambiental no território nacional. Trata-se de uma associação sem fins lucrativos, que reconhece o valor de cada cidadão, estimulando a contribuição de todos e respeitando a diversidade social, econômica e cultural. Mais informações no site: https://isso.org.br 

Gostou do conteúdo? Compartilhe com seus amigos!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content