Arte que vem do barro: ceramistas de Caraí

Você já brincou com barro? Para muitas pessoas, entrar em contato com a terra é um momento propício para soltar a criatividade, meditar e relaxar. Aliás, dar uma pausa na correria do dia a dia para se reconectar com a natureza e seus elementos pode trazer inúmeros benefícios.  Já parou para pensar no que é possível fazer com um pouco de barro? Em sua casa existem objetos que usam barro (argila) como matéria-prima? O termo cerâmica é utilizado para definir o objeto feito em argila e “cozido” em forno, processo que altera algumas de suas características iniciais. De acordo com a Enciclopédia Itaú Cultural (2021), desde a descoberta do fogo, a história da cerâmica está entrelaçada à história de todas as civilizações das quais se têm notícias, do Oriente ao Ocidente. Então, a partir dessa informação, já podemos ter noção de como são antigos os primeiros artefatos feitos de cerâmica. Os objetos encontrados pelos estudiosos tinham funções diversas relacionadas ao uso utilitário, decorativo e ritualístico. Ainda de acordo com essa enciclopédia, as primeiras cerâmicas datam de aproximadamente 9.000 a.C., tendo sido encontradas na região de Anatólia (Ásia Menor). Entre 1.000 e 1300 a.C., os oleiros e decoradores gregos produziram peças de cerâmicas com pinturas que retratavam cenas de batalhas e de conquistas; entre 550 e 480 a.C., os chineses vinculavam suas peças de cerâmicas (porcelanas) à tradição religiosa, cultos e ritos.

O mundo todo se beneficiou desse material cheio de possibilidades que é a argila. Dela surgiram peças em cerâmica de grande valor histórico e cultural. Aqui em Minas Gerais, no Vale do Jequitinhonha, despontaram grandes artistas da cerâmica que hoje são reconhecidos pelo mundo afora. Exemplos de alguns artistas populares da região são Rosana Pereira, Margarida Pereira, Geralda Batista e José Maria Alves, ceramistas da cidade de Caraí/MG, que trouxeram suas peças para compor a exposição “Arte do Barro, Arte na Vida”, que esteve em cartaz no período de 24 de setembro a 31 de outubro de 2021 na PQNA Galeria Pedro Moraleida, no Palácio das Artes/FCS.

Figura 1: Cerâmicas, Geralda Batista. Exposição “Arte do Barro, Arte na Vida” – FCS, 2021. Foto: Nathália Bruno.

Para dar cor às suas peças, os artistas fizeram uso de tintas produzidas a partir das terras tabatinga e tauá (terra branca e terra vermelha). Repare que, além do zelo com a forma, existe o cuidado com o acabamento da pintura de forma que esse processo mágico é inteiramente feito usando a terra como matéria-prima.

Vamos destacar aqui dois artistas populares: José Maria e Rosana.

José Maria, conforme Guacira Waldeck (2019), além de ceramista, também trabalha como pedreiro, mas prefere se recolher em seu “quartinho” para elaborar suas séries de esculturas, em que se sobressaem a busca por entrelaçar figuras humanas e animais.

Figuras 2, 3, 4 e 5: Cerâmicas, José Maria Alves. Exposição “Arte do Barro, Arte na Vida” – FCS, 2021. Fotos: Nathália Bruno.

Já Rosana mistura os mundos representando animaizinhos em cenas cotidianas de seres humanos. Conforme Waldeck, as figuras se aproximam dos “contos infantis e filmes de animação como se tecesse, em modelagem, um diálogo com produções da indústria cultural” (2019, p.23). Ainda segundo o autor, “as figuras zoomorfas em cenas humanas pertencem à esfera cotidiana íntima, doméstica, familiar, embebida em afeto” (2019, p.23).

Figura 6: Cerâmica, Rosana Pereira. Peça da exposição “Arte do Barro, Arte na Vida” – FCS, 2021. Foto: Nathália Bruno.
Figura 7: Cerâmica, Rosana Pereira. Peça da exposição “Arte do Barro, Arte na Vida” – FCS, 2021. Foto: Nathália Bruno.

Sugestão de Atividade:

Esses seres zoomorfos são capazes de inspirar você a criar suas próprias criaturas? Venha com a gente exercitar sua criatividade! Inspire-se na fauna e na flora do lugar onde mora, nos objetos que usa em seu cotidiano, nas situações que vivencia e crie também sua série. Você pode usar barro, massinha de modelar ou outro material para dar forma à sua imaginação.

Existe uma expressão comumente usada entre os ceramistas que é a “queima de biscoito”. “Biscoito”, nesse caso, é a fase em que a peça se encontra quando é feita a primeira queima (“cozimento” em forno). Essa primeira queima serve para dar maior durabilidade, resistência e impermeabilidade à peça. Aproveitando essa expressão, e já que as peças em cerâmica também são levadas ao forno, nós aqui do Criarte vamos compartilhar uma receita base de biscoitos para você provar, testar a modelagem de algumas formas e compartilhar com a gente o resultado. Chame sua família para participar e prepare os ingredientes. Você pode confeitar da maneira que preferir e o rendimento dessa receita vai depender do tamanho que der aos seus biscoitos. Não se esqueça de pré-aquecer o forno por 10 minutos a 200 graus.

Coloque em uma tigela:

– ½ xícara (chá) de açúcar;

– 2 colheres (sopa) de margarina ou manteiga;

– 2 ovos;

– 1 colher (chá) de essência de baunilha, raspas de limão, canela em pó ou qualquer outro condimento/essência de sua escolha.

Acrescente aos poucos a farinha de trigo (mais ou menos 3 xícaras) e vá misturando com uma colher e, em seguida, use as mãos. O ponto correto da massa será quando ela estiver desgrudando das mãos.

Unte a forma, modele os biscoitos e leve para assar.

Compartilhe o resultado da atividade, outras receitas que você conhece e percepções sobre os trabalhos dos artistas por meio de suas redes sociais. Use a hashtag #educativofcs e o @cdabrum e @fcs.palaciodasartes no Instagram.

Referências:

CERÂMICA. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileira. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/termo4849/ceramica>. Acesso em: 08 de nov. 2021.

Jung Artística. Conheça mais sobre a “queima de biscoito”. Blumenal, 2021. Disponível em: <https://www.jung.com.br/artistica/blog/conheca-mais-sobre-a-aqueima-de-biscoitoa/>. Acesso em: 08 de nov. 2021.

O Último Cookie do Pacote. Receita básica para qualquer biscoito. Youtube, 2019. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=CfXU3kdd5q8˃ Acesso em: 08 de nov. 2021.

Vício Feminino. Como Fazer Biscoito Caseiro (muito fácil). Youtube, 2018. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=onN885umeTs>. Acesso em: 08 de nov. 2021.

WALDECK, Guacira. Arte do Barro, Arte na Vida. Rio de Janeiro: IPHAN, novembro, 2019.

Sobre a autora:

Nathália Bruno é bacharel e licenciada em Artes Plásticas, especialista em Ensino de Artes Visuais e Tecnologias Contemporâneas, artista visual, professora e mediadora cultural na Escola de Artes Visuais do Cefart – FCS.