Prêmio Décio Noviello: Marcela Cantuária

Hoje, vamos destacar o trabalho da artista Marcela Cantuária na exposição Figurar o impossível, com curadoria de Joyce Delfim, que ocupou a Galeria Genesco Murta e a Galeria Arlinda Corrêa Lima, no Palácio das Artes. 

Marcela Cantuária é uma artista brasileira que, atualmente, vive e trabalha no Rio de Janeiro. Nos trabalhos expostos podemos observar que, a partir de pesquisas de histórias de personalidades femininas e da catalogação de imagens, a artista busca inspiração para os processos de criação de suas obras.

Seus trabalhos são marcados pela representação do feminino por meio de resgates históricos de lutas de classe e da utilização de imagens políticas.

As obras apresentam elementos da natureza e aspectos lúdicos, reforçados pela utilização de uma paleta de cores fortes e vibrantes.  Algumas pinturas presentes na exposição abordam questões sobre a posição da mulher na sociedade. A artista parte da representação de figuras de mulheres que pertenceram a determinados momentos históricos, trazendo-as, assim, para a atualidade.

Os processos de criação dos trabalhos de Cantuária têm várias influências, como, por exemplo, as referências do Tarô e as representações de trechos musicais e obras literárias na série Oráculo Urutu. Em algumas de suas composições, aparecem imagens midiáticas e jornalísticas, figuras do inconsciente, registros fotográficos do cotidiano e imagens de mulheres em meio a paisagens e animais, demostrando relação com a temática da ancestralidade e da luta de povos latino-americanos e revelando traumas coloniais.  A artista utiliza imagens do seu imaginário para criar cenas, às vezes confusas e anacrônicas, em referência às redes virtuais de comunicação.

Suas obras criam alegorias simbólicas inspiradas em diversos contextos e também em imagens de heroínas anônimas, como, por exemplo, Juana Azurduy Bermudez, mulher de origem indígena e militar latino-americana, que participou das lutas pela independência da América espanhola. Outra personagem retratada por Cantuária é Maria Bonita, cangaceira brasileira.  

São figuras de guerreiras, ativistas, mães, militantes e outras mulheres anônimas que, segundo a artista, trazem uma reconstrução da representação da mulher na pintura. Essas e outras personagens fazem parte da série Mátria Livre.

Em seus processos criativos, a artista cria pinturas em que mescla imagens históricas, referências políticas e representações culturais na contemporaneidade.

Observe as imagens a seguir.

O que elas representam para você? Elas despertam em você alguma memória? Que construções imagéticas podem surgir em sua imaginação ao observá-las?

 

“Filhas do vulcão: Mama Dolores y Mama Trásito”, Marcela Cantuária, 2019. Óleo, acrílico, spray e encáustica sobre tela, 150 x 200 cm. Coleção particular. Foto: Nathália Bruno.

 

“Quando secundarista é sinônimo de heroína”, Marcela Cantuária, 2018. Óleo sobre tela, 200 x 150 cm. Coleção particular. Foto: Nathália Bruno.

 

 “Leila Khaled”, Marcela Cantuária, 2020. Óleo e acrílica sobre tela, 160 x 120 cm.
 Foto: Nathália Bruno

O que os elementos visuais, como as cores, os objetos, os símbolos e as figuras femininas representam para você? Quais associações podemos fazer entre as imagens e as mulheres retratadas nas obras?

É possível relacionar as imagens a algum período histórico ou a fatos do nosso cotidiano? O que podemos entender sobre o título da exposição Figurar o impossível?

Os trabalhos da artista estão carregados de referências sociais e políticas, ligadas à força e à memória de lutas passadas e da contemporaneidade, representadas em figuras femininas, criando um universo simbólico muito rico, provocando a nossa percepção para os aspectos visuais das obras e para os seus possíveis significados, possibilitando diversas leituras.

Compartilhe com a gente as suas percepções sobre a produção artística de Marcela Cantuária! Use as hashtags #educativofcs, #criarte e também @fcs.palaciodasartes no Instagram. Para saber mais sobre o Prêmio Décio Noviello, clique aqui.

Referências:

Prêmio Décio Noviello: ˂https://fcs.mg.gov.br/eventos/premio-decio-noviello-de-artes-visuais/˃. Acesso em: 27 jan. 2021.

Página da artista: ˂https://www.marcelacantuaria.com.br/˃. Acesso em: 01 fev. 2021.

Prêmio Décio Noviello de Artes Visuais 2020 | Joyce Delfim e Marcela Cantuária – Figurar o impossível. (16min). Disponível em: ˂https://www.youtube.com/watch?v=7TX2BkEq_VM˃. Acesso em: 01 fev. 2021.

Sobre o autor:

Giovane Diniz é licenciado em Artes Plásticas, mestre em Artes Visuais, artista plástico, professor e mediador cultural na Escola de Artes Visuais do Cefart – FCS.